Histórico

O território foi habitado primitivamente pelos indígenas; posteriormente, nele se fixaram portugueses e africanos que passaram a desenvolver a agricultura, dando prioridade à cana de açucar, mandioca e milho. Paralelamente, era praticado o extrativismo da amêndoa de babaçu.

Em 1815, chegava o cearense Luis da Costa Garcês acompanhado de sua família, especializando-se no plantio da mandioca, obtendo resultados satisfatórios. Cinco anos depois, o sr. Garcês abria uma casa de comércio, sendo a primeira no gênero.

Antigos habitantes do lugar atestam que, no passado, o cultivo da cana de açúcar se destacou, fazendo surgir vários engenhos para fabricação de rapadura, aguardente e açucar. Ainda assim, a região não conseguiu prosperar, haja vista que somente no século XX teve a sua emancipação.

Segundo a tradição corrente, a primeira missa no local foi celebrada à sombra de um bacurizeiro e como durante o ato religioso caíssem alguns frutos, Frei David, que era o celebrante, exclamou: ‘Bacuri’! Daí, a origem do topônimo.

Gentílico: bacuriense

Formação Administrativa

Elevado à categoria de município com a denominação de Bacuri, pela lei estadual nº 2154, de 16-12-11961, desmembrado de Cururupu. Sede no antigo distrito de Bacuri exlocalidade. Constituído do distrito sede. Instalado em 02-01-1962.

Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

 

 

Fonte:IBGE