Histórico

O devassamento do território teve por base a presença de povoadores de município vizinhos, principalmente vindos de São Bento e Peri-Mirim. Embora predominando na região vastos campos, usados no verão para a pecuária, existem terras propícias à lavoura e ao extrativismo vegetal.

O crescimento da povoação foi lento, em todos os aspectos, haja vista a pobreza da área, agravada pela inexistência de estradas, dificultando o acesso à mesma.

A penetração de novos habitantes foi de pequena monta, não possibilitando que as atividades exploradas se destacassem. O comércio não apresenta expansão, restando apenas a pesca no período de inverno, nos campos alagados, como principal meio de subsistência.

Primitivamente, a povoação teve o nome de Palmeiras, sendo alterado para Palmeirândia, quando da Criação do município. O nome advém de extensos palmeirais encontrados no território.

Gentílico: palmeirandense

Formação Administrativa:

Elevado à categoria de município e distrito com a denominação de Palmeirândia, pela lei estadual nº 1997, de 31-12-1959, desmembrado de São Bento, e parte do distrito de Peri-Mirim. Sede no atual distrito de Palmeirândia ex-povoado. Constituído do distrito sede. Instalado em 17-01-1962.

Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

 

 

Fonte:IBGE