São Luís – Os técnicos do Departamento Nacional de Infra-Estrutura (DNIT) iniciaram ontem, juntamente com os operários da Petra Engenharia, os serviços de escoramento e chapeamento metálico da estrutura da ponte sobre o Estreito dos Mosquitos (ponte Marcelino Machado), que é a única ligação de São Luís com o continente. Um dos pilares centrais da ponte trincou, causando uma rachadura na estrutura da via próximo à cabeceira.

Segundo o engenheiro Leônidas Caldas, coordenador-técnico do DNIT no estado, o escoramento da estrutura é um pequeno reforço, para garantir a estabilidade da ponte. Até ontem, não havia um prazo para a conclusão dos serviços.

A avaliação dos técnicos do DNIT é que mesmo com o escoramento das vigas o tráfego de veículos pesados sobre a ponte não será liberado. “Vamos concentrar esforços para que se resolva esse problema o mais rápido possível”, disse Leônidas Caldas.

Ontem, uma equipe de engenheiros da Companhia Ferroviária do Nordeste avaliou as condições da estrutura da ponte ferroviária Benedito Leite, apontada pelos técnicos do DNIT como a alternativa para escoamento do tráfego de veículos pesados como caminhões, carretas e ônibus.

REFORMA

Leônidas Caldas informou que estão sendo mantidas negociações como a direção nacional do DNIT para que seja realizada a reforma completa da ponte Marcelino Machado e a construção de uma outra sobre o Estreito dos Mosquitos, cujas foram iniciadas mas paralisadas por falta de recursos.

“Imediatamente após a realização desses serviços emergenciais, iniciaremos os serviços de recuperação total da ponte Marcelino Machado”, assegurou o coordenador do DNIT.

Em dezembro do ano passado, foram realizados serviços de nivelamento nos dois vãos da ponte, conhecidos como Gerber. Os vãos são responsáveis pela junção das estruturas assimétricas que ficam de um lado e outro.

De acordo com o Leônidas Caldas, o DNIT retomará ainda este ano a construção da segunda ponte sobre o Estreito dos Mosquitos. “A reavaliação do projeto está em curso”, assegurou acrescentando que 100% das fundações e 85% da meso-estrutura estão prontas.