Notícia de Araguanã

46 Visualizações

Publicada em 09/08/2018 20:06:21

11 NOVOS AGENTES DE SAÚDE SÃO EMPOSSADOS


A prefeitura de Araguanã, através da Secretaria Municipal de Saúde, realizou um café da manhã na sede administrativa do município, onde deu posse aos novos Agentes Comunitários de Saúde, aprovados no processo Seletivo Público nº 001/2018. A equipe de agentes ganhou o reforço de 11 servidores e agora soma 45 no total. Os novo agentes receberam, além das portarias, todo o fardamento e equipamento necessário para boa execução do trabalho. Foram entregues os kits com camisa, boné, bolsa, balança digital, prancheta, fita métrica e protetor solar.

“Os agentes de saúde fazem um papel de suma importância por que são da própria comunidade. Fico muito feliz em aumentar essa equipe e oferecermos todo o equipamento necessário para que possam desenvolver um bom trabalho, no final o que importa é servir bem ao povo de Araguanã”, disse o prefeito Valmir Amorim.

A prefeitura de Araguanã segue investindo no cidadão, fazendo a saúde acontecer para todos os cidadão, porque cuidar das pessoas é o maior objetivo.

 

Sobre as Implantação do Programa e as atribuições dos agentes de Saúde:

Oficialmente implantado pelo Ministério da Saúde em 1991, o então Programa de Agentes Comunitários de Saúde (PACS) teve início no fim da década de 80 como uma iniciativa de algumas áreas do Nordeste (e outros lugares, como o Distrito Federal e São Paulo) em buscar alternativas para melhorar as condições de saúde de suas comunidades. Era uma nova categoria de trabalhadores, formada pela e para a própria comunidade, atuando e fazendo parte da saúde prestada nas localidades.

Hoje, a profissão de agente comunitário de saúde (ACS) é uma das mais estudadas pelas universidades de todo o País. Isso pelo fato de os ACS transitarem por ambos os espaços – governo e comunidade – e intermediarem essa interlocução. O que não é tarefa fácil.

O agente comunitário de saúde tem um papel muito importante no acolhimento, pois é membro da equipe que faz parte da comunidade, o que permite a criação de vínculos mais facilmente, propiciando o contato direto com a equipe.

I - Trabalhar com adscrição de famílias em base geográfica definida, a microárea;

II - Cadastrar todas as pessoas de sua microárea e manter os cadastros atualizados;

III - Orientar as famílias quanto à utilização dos serviços de saúde disponíveis;

IV - Realizar atividades programadas e de atenção à demanda espontânea;

V - Acompanhar, por meio de visita domiciliar, todas as famílias e indivíduos sob sua responsabilidade. As visitas deverão ser programadas em conjunto com a equipe, considerando os critérios de risco e vulnerabilidade de modo que famílias com maior necessidade sejam visitadas mais vezes, mantendo como referência a média de uma visita/família/mês;

VI - Desenvolver ações que busquem a integração entre a equipe de saúde e a população adscrita à UBS, considerando as características e as finalidades do trabalho de acompanhamento de indivíduos e grupos sociais ou coletividade;

VII - Desenvolver atividades de promoção da saúde, de prevenção das doenças e agravos e de vigilância à saúde, por meio de visitas domiciliares e de ações educativas individuais e coletivas nos domicílios e na comunidade, por exemplo, combate à dengue, malária, leishmaniose, entre outras, mantendo a equipe informada, principalmente a respeito das situações de risco; e

VIII - Estar em contato permanente com as famílias, desenvolvendo ações educativas, visando à promoção da saúde, à prevenção das doenças e ao acompanhamento das pessoas com problemas de saúde, bem como ao acompanhamento das condicionado.

MINISTÉRIO DA SAÚDE

 

46 Visualizações

Publicada em 09/08/2018 20:06:21

FAMEM © 2018 - Todos os direitos reservados