Caxias

Fabio Jose Gentil Pereira Rosa
  • Prefeito: Fabio Jose Gentil Pereira Rosa

  • Aniversário Prefeito: 06/08

      Primitivamente era um agregado de índios timbiras e gamelas. Com a chegada dos colonizadores, internaram-se nas montanhas e florestas abandonando suas primeiras habitações.

      No século XVIII, estabelecendo-se nas aldeias abandonadas, os portugueses edificaram a Igreja Nossa Senhora da Conceição e deram à nova Povoação o nome de Aldeias Altas, em contraposição talvez, às primeiras já estabelecidas no Baixo Itapecuru. Nos primeiros documentos de que se tem notícia e que foram justamente aqueles remetidos pelos missionários jesuítas para Roma e Lisboa, a localidade é mencionada com o nome de “Guanaré”. Com a construção, ainda no século XVIII , da Capela de São José apareceu também, por vezes, com o nome de São José das Aldeias Altas.

      Em 1811 foram-lhe conferidos títulos e prerrogativa de Vila com a denominação de Caxias das Aldeias Altas, nome reduzido para Caxias, quando de sua elevação à Cidade em 1836.

      Segundo alguns, o nome Caxias foi dado ao Município, em razão da existência em Portugal de uma freguesia com idêntica denominação, costume muito comum aos lusitanos da época. Entretanto para o professor Basílio de Magalhães, a grafia correta do topônimo seria “Cachias” já que, segundo ele, provém de “Cachia”, nome dado à esponja, flor do arbusto chamado “corona christi”. O poeta Gonçalves Dias, nascido em Caxias, imortalizou o local, escrevendo a bela poesia - O Morro do Alecrim - resultando daí a nova denominação dada ao morro das Tabocas.

      O Município sofreu as conseqüências da Balaiada, revolta que abalou o Maranhão, no período de 1838 a 1840.

      Na história da pacificação do Estado do Maranhão, teve importante papel o cabo-de-guerra Luís Alves de Lima e Silva. Foi no legendário morro do Alecrim que o grande soldado recebeu do Imperador do Brasil a comunicação de que seria agraciado com um título honorífico e de que deveria escolher a designação que desejava. O famoso militar escolheu, então, o título de Barão de Caxias, sendo depois elevado a Marquês e Duque de Caxias.

Gentílico: caxiense

Formação Administrativa

      Distrito criado com a denominação de Caxias das Aldeias Altos anteriormente a 1735.

      Elevado à categoria de vila com a denominação de Caxias das Aldeias Altas, por Alvará de 31-10-1811.

      Criada a vila a 24 de janeiro de 1821, foi dividida nas freguêsias de Nossa Senhora da Conceição e São Benedito, pela Lei provincial nº 13,  de 08 de maio de 1835.

      Elevada à condição de cidade e sede do município com a denominação de Caxias, pela Lei Provincial nº 24, de 05-07-1836.

      Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município se denomina Caxias e é constituído do distrito sede.

      Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.

      No quadro fixado para vigorar no período de 1944-1948, o município é constituído do distrito sede.

      Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído do distrito sede.

      Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

 

Fonte:IBGE

MUNICÍPIO DE CAXIAS

Lei nº 269 de 31 de Dezembro de 1948. Cria o Município de CAXIAS e dá outras providências.

 

LIMITES MUNICIPAIS

1 – Com o Município de CODÓ:

Começa no ponto de quadrijunção de limites dos Municipios de Caxias, Codó, Colinas e Presidente Dutra, onde o divisor de águas Mearim Itapecuru cruza a linha geodésica que tem por extremos a foz do Rio Flôres no Mearim, a foz do Rio Corrente, no Itapecuru; segue por um alinhamento reto à cabeceira mais alto do Riacho Saco, afluente da margem direita do Rio Codosinho; segue pelo talvegue desse riacho a jusante, ate o lugar do marco à sua margem direita, defronte do lugar denominado Corica; daí segue por alinhamento reto a cabeceira do Rio Pratinha, segue pelo curso deste rio a jusante até a sua barra no Rio Prata; continua pelo talvegue deste Rio a jusante ate a sua foz a margem esquerda do Rio Itapecuru; prossegue pelo curso deste rio a jusante até a foz do Riacho Gameleira a sua margem direita; daí pelo talvegue deste riacho a montante até o lugar denominado Pau Darco, segue por um alinhamento reto ao lugar Bom Jesus e ainda por outro alinhamento reto continua ate o cume do morro Fidié, ponto de quadrijunção dos limites Caxias, Codó, Chapadinha e Coêlho Neto.

2 – Com o Município de COÊLHO NETO:

Começa na foz do Rio Corrente de baixo à margem esquerda do Rio Parnaíba; segue por uma reta ao lugar Fidié, ponto comum aos limites de Caxias, Codó, Chapadinha e Coêlho Neto.

3- Com o ESTADO DO PIAUI:

Começa no Rio Parnaíba na Pedra do Fidalgo à sua margem esquerda até a foz do Riacho Itaguarará, segue pelos limites dos Estados do Maranhão e Piauí.

4-Com o Município de TIMON:

Começa na foz do Riacho Itagurará à margem esquerda do Parnaiba; segue por um alinhamento reto no lugar do marco a Noroeste e a um e meio quilômetro da capela do Povoado Caieira; daí continua por um alinhemento reto em direção Sul até o lugar do marco à margem esquerda do Riacho Itagurará; prossegue pelo talvegue desse riacho a montante até a sua cabeceira mais alta; daí continua por um alinhamento reto ao lugar do marco a Oeste e a dois quiômetros do centro de Buriti Cortado, que inclui para Timon, trijunção dos limites dos municípios de Parnarama, Caxias e Timon.

5 – Com o Município de PARNARAMA:

Começa no Povoado Buriti Cortado na intersecção dos limites comuns de Caxias, Parnarama e Timon na estrada de boiada com o riacho daquele Povoado; segue daí por uma reta para o Povoado Baú na intersecção da estrada de rodagem Caxias-Colinas, no lugar denominado Cancela; segue pela estrada referida até a intersecção desta com os limites das terras do Povoado Cana Brava com o povoado Buriti Frio; segue daí pela estrada de tropa para o Povoado Quilombo, ficando na extensão da mesma estrada o Povoado Conceição para Parnarama e o Povoado Canto Alegre para Caxias; segue de Quilombo pela estrada de tropa para o Porto do Paiol à margem direita do Rio Itapecuru, passando pelos Povoados Central, Pelo Sinal, Santa Cruz e Condué estabelecendo-se que pertencerá a Parnarama o Povoado de Quilombo e a Caxias os Povoados Central, Pelo Sinal, Santa Cruz, Condué e Porto do Paiol; segue do Porto do Paiol pelo leito do Rio Itapecuru até a foz do riacho Corrente que fica a margem direita do mesmo Rio.

DIVISAS INTERDISTRITAIS

O Município constitui um só distrito.
 

 

Este texto não substitui o original publicado em imprensa oficial.


FAMEM © 2018 - Todos os direitos reservados